terça-feira, 30 de janeiro de 2007

São tão realistas

Apontamentos prévios:
1 - O meu consumo televiso é felizmente cada vez menor, centrando-se nalguns programas de informação, séries de animação, desporto e as já vulgarmente designadas por séries da Fox.
2 - Apesar de sentir algum fascínio pelo instrumento televisão, nomeadamente pela sua história, poder e manifestações sociológicas, tendo já realizado um trabalho de investigação na área designado por "Televisão e o 25 de Abril" (pode ser que algum editor leia isto), considero o actual panorama televisivo português uma grande imundice. Refiro-me em particular aos três canais generalistas.

Dito isto, estava aqui a fazer um zapping quando passei pela 3 e, apesar de ter um dedo bastante rápido ao comando, vi que estava a dar uma cena da série "Jura" na qual um casal fazia "o amor". Nem vou comentar a série, nunca vi mais do que um minuto, apenas sei que mostra muitas maminhas e tem uns diálogos muito pobrezinhos entre personagens retardadas que certamente perderiam qualquer discussão com muitos gajos criados a sopas de vinho que conheço. Não querendo por em causa a esterquice da série nem a cara de ganzado do Rogério Samora, eu só queria perguntar a quem faz esta série, realizador, guionista, sei lá, se já alguma vez fez "o amor" ou se foi criado em algum colégio de freiras. Quem é que tem relações, "faz o amor", e se preocupa em tapar o rabo durante o acto ou as margaridas quando termina?

3 comentários:

magnuspetrus disse...

É o pudor meu caro, o pudor...

Marco disse...

Pois... já lá vai o tempo em que boas série e bons documentários passavam a horas decentes.

FL disse...

Mas também que a televisão é uma grande fonte de risada.