quinta-feira, 14 de dezembro de 2006

Muda e muda

Um homem chega a casa depois de um dia estafante, liga a televisão, afunda-se no sofá para se entreter e dá logo de caras com o Natal dos Hospitais?! Considero o princípio da iniciativa louvável e nobre mas ao fim destes anos todos não podiam ter mudado o formato? Naquela parada de vedetas de baile a abrir e fechar a boca sincronizadamente com a música reconheço valor a uma entidade: a aparelhagem/computador que está a ler os cds/mp3. Quando zapava para a RTP (aquela televisão que pagamos) ainda fui rindo com o controverso José Cid (as pessoas gostam mesmo daquilo? Sempre achei que era a mulher que lhe comprava os cds) e apreciar o belo Mikael, filho do Tony Carreira. Já reparam que a voz dele, reformulo, a voz que se ouve nos seus playbacks é igual à do pai? Será que...
No zapping vejo que na 2 (canal que pago mais sorridente) está a dar um documentário... too tired.
Na SIC, ou na três como dizem os idosos, está a dar uma coisa nova. Aparentemente é uma telenovela portguesa cuja actriz/personagem principal (eu não considero aquilo interpretação) é uma moça com ar de sopeira, mau penteado, cheia de tiques e com uma pronúncia nortenha tão acentuada que se um dia quiser ser mesmo actriz tem de fazer uma sessões de terapia da fala. Sabem como se chama a novela? Nunca vi! Rotina na programação da SIC é coisa que não existe.
No antigo canal da Igreja, que nos últimos tempos tem sido o maior antro de pornografia sem ter de mostrar pilinhas nem pipis, está a dar uma coisa também nova. Pelo que percebo é uma telenovela portuguesa sobre adolescentes, roupas, bijuteria e outros produtos de consumo. O argumento parece fabuloso naquele contexto colegial da Quinta da Marinha e as interpretações são fantásticas. Cada actor faz questão de, ao terminar a sua fala, vincar a testa, arregalar os olhos e inclinar o queixo. Melhor actor só o dróide R2-D2. Até fiquei tentado em deixar neste canal, pois parece que às 20 horas costuma dar uma telenovela ainda mais electrizante.
Canal número cinco: Canal Cabovisão. Quem é o doente que vê isto?
No sexto vejo finalmente algo de jeito, o Opinião Pública da SIC Notícias com a Marta Atalaia. Não sejam ordinários, não é a Marta Atalaia que é algo de jeito, reformulo, não faz o meu género apesar dos fetiches de alguns ouvintes (é cada triste). Refiro-me ao programa pois para além de possibilitar o debate de assuntos pertinentes, permite aos participantes descarregar terapeuticamente as suas frustrações (um dia faço um post sobre este tipo de programas).
Como o assunto era justiça e futebol, tirei a mão do comando.
Claro que depois não resisti e zapei para os outros para me rir com o degredo.

4 comentários:

Goncalo Veiga disse...

"Na Sic, ou na três como dizem os idosos"!!! haha! Essa é linda!

Bem, não há mesmo nada como não ter tv cabo... Por vezes também me canso dos programas... Acredites ou não só vejo o odisseia, national geo, discovery, os canais premium lusomundo, o fox e às vezes o telejornal na Rtp1, e mesmo assim! Dantes ainda via o VH1, aí há três anos, agora nem isso.

Enfim!

P.S. Mandei um mail lá para o mercado negro mas nunca me chegaram a responder. Acho que enviei a semana passada, pouco antes de me mandares os dados... Tenho que ver mais locais aí para irmos à caça dos ovos moles!

FL disse...

Então és uma pessoa que evita a degradação televisiva. Eu vejo sobretudo os canais de informação, os de desporto e a FOX (sobretudo as séries de animação). Filmes não gosto de ver em canais televisisos pois geralmente já os apanho a meio. Canais de música (já nem sei se são de música ou cabines de strip...) temos o Youtube.

Quanto ao teu p.s. Gonçalo, quando passar perto do Mercado Negro peço-lhes o contacto telefónico.

Lobka disse...

Eu continuo sem perceber a quem é que eles pensam que estão a dirigir a programação!! Porque se é às crianças, então temos o dever de aumentar a qualidade para que não saia uma geração de totós, se é para os velhotes, muitos deles só se interessam por uma novelazita e depois "xixi-cama-que-amanhã-é-dia-de-ir-ao-médico-queixar-me-das-cruzes"... não sei, parece-me que andámos para trás no que diz respeito à qualidade das tv's generalistas. Tenho saudades, Do Herman Enciclopédia, do Duarte e Companhia, do Agora Escolha, das comédias britanicas... etc etc

FL disse...

O que me choca mais são os rios de dinheiro gastos em programas medíocres na televisão estatal. Já os privados têm o direito a fazer o que bem entenderem.
Ainda bem que há o cabo (se bem que também conto pelos dedos os canais de real interesse)e a net.