quarta-feira, 19 de dezembro de 2007

Correntezas

Foi à bela e algarvia Ilha da Culatra que chegaram 23 pessoas vindas de Marrocos, convenientemente classificadas como imigrantes ilegais. Como é óbvio, apesar da sua ferrada e pejorativa classificação, estes indivíduos não são parvos! O destino era Espanha! Para viver na miséria tinham ficado na terra do Mohammed VI a fazer as compras natalícias com os valiosos dirhams.
O pitoresco desta questão foram as rápidas declarações de responsáveis do SEF e do governo, inclusivamente do PM, a desvalorizar o sucedido categorizando-o como pontual, fruto das correntes ou do acaso.

Ou seja, a ideia é:

Que o lixo existe é certo e inevitável, o importante é que esteja na casa do vizinho nem que tenhamos de o varrer, empurrar e pagar. Longe da vista longe das preocupações.

Moralismo mochista:
Senhores, antes de pensar que são todos imigrantes ilegais potenciais terroristas, transmissores de doenças exóticas, futebolistas, prostitutas ou gangsters, há que lembrar a sua condição humana.

2 comentários:

filomeno2006 disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
avelaneiraflorida disse...

Dá cá um jeito Portugal não ser uma ilha!!!!!!

Bjkas!!!!