sexta-feira, 19 de outubro de 2007

O cartão

Recebi agora um email de um tal "Cartão SPF", assinado por por um Mark, com o seguinte título: "Filipe, já há algum tempo que não falamos".

Eis o conteúdo:

"Olá, FILIPE

Não sabes o que perdeste ontem! Não parámos o dia inteiro, sempre de um lado para o outro … Bem…fomos com as miúdas “às compras”, Uuuuuuii!...Mas agora a sério e tirando a parte de estar sempre à espera delas…tens de passar na Springfield, já está com nova colecção. Eu comprei uma camisa e um blusão de pele, e o melhor…a Paula adorou! Para além do mais como tinha saldo acumulado no Cartão Club Springfield e utilizei o Dinheiro SPF não gastei muito! Tens que lá ir!"


Regozijo-me por a Paula ter adorado as compras apesar de não fazer a mínima ideia de quem seja. É sempre bom ver as pessoas felizes. Soube que ontem à noite noite pagaram 80 euros por um repasto de marisco, num restaurante não inspeccionado pela ASAE, e fizeram O Amor à luz das velas (depois de tirar a camisa e o blusão de pele claro) ao som da pujante Celine Dion.
A noite perfeita não?

Enganam-se! Uma amiga de uma amiga de uma amiga de um amigo de um cunhado de uma amiga de uma prima de uma amante de uma amiga (relação lésbica toparam?) de um tio de um companheiro de um amigo (modo discreto de nos referirmos a uma relação homossexual: "companheiro") de um primo da Paula, contou-me que a alvorada foi agitada. Parece que depois da noite de amor, o Mark virou-se para a Paula e:
- Paula, esta noite noite enquanto tentava recordar o refrão daquela música da Celine, reparei que estás com um pouco de celulite nas coxas.
Paula: - E?!?!
Mark: - E que não pode ser. Tens de eliminar isso. Achas que a celulite combina com o meu corpo malhado? (o Mark gosta de telenovelas)
Paula: - As mulheres não são perfeitas sabias?!!!
Mark: -Olha as boazonas da revistas não são assim!
Paula: - És mesmo ingénuo. aquilo é tudo trabalhado com photoshop.
Mark: - Photoshop?!?! Isso é a resposta típica de uma mulher invejosa e descuidada ou então de um hippie avesso às revistas da moda e à sociedade de consumo. Como não és hippie...
Paula: - Oh meu grande...
Mark: - Essa do photoshop é como a de Deus. As pessoas não conseguem perceber como é que há gajas assim tão boas e lá criam uma entidade superior para terem respostas para o inexplicável.
Paula: - Que rico teólogo da Maxmen me saíste tu!
Mark: - Se fizesses mais ginástica e falasses menos. É melhor ires para o Holmes.
Paula: - Olha meu cabrão podes ter um corpo muito tonificado e bonito, só é pena que um osso do teu corpo não funcione bem (a Paula não percebia muito de anatomia humana)! Desde que te meteste nas pastilhas que a minha satisfação sexual é nula.
Mark: - Ai sim? Olha que na cama gemes que nem uma doida!
Paula: - Ahahaah. Como é que achas que treino para ser a melhor no coro da paróquia?
Mark: - És uma triste infeliz!
Paula: - Tens razão. Se não fossem as compras na Springfield já...
Mark: - Pois. Por caso ontem vi lá umas calças porreiras. Guardaste o cartão?
Paula: - Claro. Queres ir às compras hoje?


Que moralismo...
Eu também tenho um cartão da Springfield. Ainda bem que deixei o email...
De qualquer modo, o Mark e a Paula tiveram um dia melhor do que o meu. Os meus portugueses foram derrotados pelos holandeses no Civilization IV. Fui para a a cama a pensar nisso.

5 comentários:

avelaneiraflorida disse...

Já não suporto mais cartões!!!!
Por favor!!!!
Os multicores, os de cor única, os privilegiados, os que têm anuidades, os que ...

Códigos de barras...plástico...
Um dia destes monto uma galeria destes "horrores"...
BOM FIM DE SEMANA!!

Klatuu o embuçado disse...

Está muito fixe este post! Estamos a ser devorados aos poucos por esta merda toda...

Abraço!

Pedro Santos Cardoso disse...

Os mails são um mundo fantástico.
Olha aqui outro espécime:

http://odoloeventual.blogspot.com/2006/08/espectculo-de-variedades.html

FL disse...

Bem antes de mais, mal posso esperar pelo regresso do Dolo Eventual.
Quanto ao post, deu para me rir um bocado.

Catarina disse...

Gostei muito dos pormenores deste post.

Essas mensagens publicitárias são mesmo ridículas. São para sentirmos que estamos integrados na sociedade?